Como estudar matemática para o vestibular?

Muitas vezes ficamos perdidos ao iniciarmos os estudos em uma área que não dominamos. Especialmente quando se trata de aprendizagem matemática, que é tão cercada de mitos, tabus e aversão à disciplina. No entanto, se você pretende estudar matemática para vestibular, é importante saber por onde começar e estudar de maneira estratégica. Principalmente devido à sobrecarga de muitas matérias. Neste artigo vou lhe explicar como aplicamos nossa metodologia para vestibulandos e como você pode se beneficiar em uma jornada autodidata.

Comece pelo básico

Você já percebeu que a aprendizagem matemática é como uma cascata de conhecimentos? Desse modo, para avançar é preciso primeiro dominar o básico. Este, por sua vez consiste em uma série de conhecimentos sobre números reais e manipulações algébricas, bem como em noções básicas de geometria. Então, atente-se a isso: construir uma base sólida é o princípio de qualquer conhecimento significativo.

A princípio, você deve focar em desenvolver uma boa compreensão nos seguintes tópicos:

  • Potenciação e radiciação;
  • Divisibilidade, MMC e MDC;
  • Fatoração;
  • Equações do 1º e do 2º graus;
  • Regras de 3;
  • Sistemas de equações lineares;
  • Razão e proporção e
  • Porcentagem.

Dito isso, tenha em mente que a matemática entra na cabeça pela ponta do lápis. Sendo assim, pratique, pratique e pratique! Essa regra vale ouro.

Finalmente, você pode obter conhecimento sobre esses temas em diversos canais no YouTube ou sites disponíveis na internet, como a Khan Academy, por exemplo. Dito isso, você deve se debruçar sobre esses tópicos, pois mesmo que não estejam explícitos no edital do concurso, eles são o fundamento para resolver um grande número de problemas, combinado?

Faça um levantamento estatístico

Uma vez que você fortaleceu sua base, é hora de se debruçar mais a fundo nos tópicos do vestibular. E a melhor maneira que encontramos aqui na Matemática Revista é fazer um levantamento estatístico dos temas que mais caíram nas provas anteriores.

Em primeiro lugar, você deve criar uma planilha com todos os temas do vestibular, que são basicamente o conteúdo do ensino médio. Em seguida, você deve baixar todas as provas anteriores que você tiver acesso.

Uma vez que você já tem as provas e os temas em mãos, é chegado o momento de analisar os tópicos que forem mais cobrados nas provas anteriores. Aqui, você deve analisar cada uma das provas anteriores e inserir na planilha os temas que caíram em cada prova.

Principalmente se você não está familiarizada com os temas do conteúdo programático, reconheço que esse passo pode ser bastante desafiador. Mas tenha calma: ao final vou lhe indicar como isso pode ser feito da melhor maneira possível.

Por fim, você deve analisar sua tabela e observar os temas que mais foram cobrados nas provas de, digamos, nos últimos 10 anos. Com isso, você deve dar prioridade para os temas que mais caem e menos importância para aqueles que menos caem. Embora o ideal e recomendado seja você cobrir todo o programa do vestibular, priorize o que é de maior relevância. Consegue ver a importância de se fazer um levantamento estatístico dos temas do vestibular?

Crie um sistema de aprendizagem efetivo

Agora chegou o momento de realmente mergulhar nos estudos. O sistema de planilha que indiquei na seção anterior já é meio caminho andado. Assim, o outro meio caminho é você pôr a mão na massa e estudar segundo as provas que você tem em mãos.

Aqui você deve focar em adquirir conhecimentos teóricos sólidos, mas principalmente em resolver os problemas dos vestibulares anteriores e outros complementares.

Por fim, comprometa-se a reservar em sua agenda um horário definido para estudar exclusivamente matemática. Além disso, é bastante útil você também criar simulados baseados naquele levantamento estatístico que você fez.

Conclusão

Tá Joaby, entendi, bacana, mas como eu aplico seus conhecimentos? Calma! Estou aqui para te ajudar.

Certamente, você percebeu como é útil fazer o levantamento estatístico dos temas que foram cobrados em provas anteriores. A boa notícia é que não precisa ser você a fazer isso. Você pode contratar o auxílio de um matemático profissional qualificado para essa tarefa. O mesmo se aplica na criação de simulados e personalização da sua aprendizagem, com curadoria de conteúdos e tudo o que você tem direito.

Nós da Matemática Revista oferecemos esse serviço, através de minha mentoria matemática individual. É toda a minha qualificação, com doutorado em matemática e mais de 15 anos de experiência como professor, a serviço da personalização de sua aprendizagem.

Pro fim, para conhecer melhor nosso serviço de mentoria individual, basta clicar no botão abaixo.

Espero te ver em breve!

Com votos de sucesso em sua jornada,

Dr. Joaby Jucá

Leia também: Como estudar matemática? 9 dicas práticas para se dar bem nessa matéria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *